Resiliência

 

Neste carnaval brasileiro de abril de 2022 o povo aplaudiu e a comissão julgadora destacou a Escola de Samba Grande Rio como vencedora ao apresentar o tema de enredo em reverencia a figura de origem africana EXU. Festa na avenida e na quadra da escola, festa nos terreiros e nos lares dos afrodescendentes pelo fato de avançar na luta contra os preconceitos e intolerância à pratica da religiosidade raiz de um povo.

Durante século EXU foi colocado como simbolismo do Diabo pelos incautos no sentido de induzir aos ignorantes o sentimento do mau. EXU é o guardião, mensageiro auxiliar na luta contra os desafios, o medo, a injustiça, o ódio e a incompreensão. EXU está presente na luta pela desigualdade, pela oportunidade de trabalho, de moradia, da possibilidade de comer e dormir em um teto digno. Um inimigo dos insensatos, dos incultos, dos semeadores da discórdia.

Numa luta secular, aos poucos, com sacrifícios e lutas, os afrodescendentes vêm superando obstáculos. Na sociedade americana e europeia os mais destacados atletas, das diversas modalidades tem o sangue negro nas veias, destacando os mais velozes atletas de velocidade oriundos de países africanos. Futebolistas de reconhecimento mundial, a exemplo de Pelé, Mané, Vinicius Junior, Magic Jonhson, Canú, Mbatê, Gabriel Jesus e uma lista interminável mobilizam, agitam e alegram milhões de torcedores.

Nos Estados Unidos da América elegeu o primeiro presidente negro, Barac Obama, a primeira vice-presidente e um membro da Suprema Corte de Justiça. Em volta do mundo grandes e renomados estudiosos, pesquisadores e cientistas contribuem com a sabedoria o desenvolvimento da ciência e da tecnologia. A raça negra não é oba do acaso nem suas crenças são demoníacas.

Os negros não são melhores e mais capazes que as demais raças. Somos a raça humana com suas especificidades. A diferencia é só a cor da pele e os mecanismos sociais que impuseram sacrifícios e dificuldades para o seu desenvolvimento. Diferente de outras raças, os negros, foram retirados do seu habitat e colocados na condição de trabalhadores escravizados. Os negros contribuíram e contribuem com o desenvolvimento humano e diversificação cultural.

Vidas negras importam e devem ser respeitadas no seu universo político, econômico e cultural.

Que DEUS e os Orixás nos protejam e ilumine os negacionistas da humanidade, dos direitos individuas, de gênero e raça.

Adelmo Borges.

 

Mais de