Esqueleto dentro do armário

 

O DEM, partido do prefeito Elinaldo, que já foi PFL e ARENA com pretensões de ser União Brasil em fusão com o desidratado PSL deve enfrentar uma eleição majoritária em 2020 com grandes dificuldades. Os democratas contam apenas com dois nomes de expressão nacional, Mandetta e ACM Neto ao perder o ex-presidente da Câmara e o presidente do senado, Maia que provavelmente se filiará ao PSDB e Pacheco que pretende disputar a chefia do executivo nacional pelo PSD respectivamente. ACM Neto deve disputar o governo do estado da Bahia e Mandetta a assembleia legislativa do seu domicilio eleitoral.

O que se especula nos bastidores é as chances eleitorais de ACM Neto no enfrentamento com Wagner do PT sob o comando de Rui Costa, uma vez que os democratas – ou União Brasil – não conta com densidade nos principais municípios do estado e em Salvador detém uma parcela a ser disputada.

O maior problema dos democratas é ter votado com Bolsonaro que tem demonstrado incapacidade de gerir o governo para sanar os grandes problemas nacionais – 14 milhões de desempregados, empresas quebrando levando uma perda do PIB de 3,2%, acusações de negligencias no combate a pandemia, envolvimento em escândalos na política ambiental, etc. - a cada dia despenca nas pesquisas de preferência da população, um histórico de apoio ao golpe militar de 1964. Essas questões devem refletir eleitoralmente mesmo que obtenha sucesso de apoiar o ex-juiz Sergio Moro.

Caso se afirme esse cenário, Camaçari tende a não consagrar, como se espera, os candidatos à assembleia legislativa nem a Câmara Federal da preferencia do governo local abrindo espaço para a postulação dos da preferencia do PT e coligados. Assim a administração municipal tende a ter dificuldades em continuar com o comando do município a partir de 2023, além de reduzir drasticamente a representação no legislativo municipal.

Quem viver verá.

Que DEUS e os Orixás nos protejam.

Adelmo Borges.
 

Adelmo Borges

Mais de