O incrível revelador do passar dos dias

 

A politica nos remete a expectativas, sonhos e esperanças. Essas são reveladas com o passar dos dias que poderá ser a confirmação das expectativas, realização dos sonhos ou frustações.

Quem diria que após as agressões de Jair Bolsonaro, no dia 7 de setembro de 2021, o mesmo teria, depois da frustação de suas intenções golpistas, negar oficialmente tudo que ficou gravado na mente dos brasileiros e reconhecer (?) o erro de suas alucinadas irreverencias em pro da reconciliação entre os poderes e o afastamento – temporário – das suas funções presidenciais por crime previsto nas quatro linhas da Constituição Brasileira.

Assim como poderíamos imaginar a frustação atual, diante das expectativas, sonhos e esperanças que os cidadãos camaçarienses nutriram com a renovação dos pares da Câmara Municipal ao angariar novos nomes em sua composição.

Muitas promessas foram feitas. Novos nomes, novas visão das necessidades da população, novos métodos de atuação, mais responsabilidades e muita vontade para realizar. Não foi o que aconteceu e acontece.

Os novos edis começaram com todo o entusiasmo, levando o presidente da casa legislativa, Junior Borges, a afirmar que a entidade passaria das indicações para a proposição.

O que presenciamos atualmente é uma casa fria, sem brilho, sem iniciativa sem nenhuma proposição que alterasse a atuação dos serviços básicos – saúde, educação, transporte, lazer, habitação, promoção social, fomento a geração de emprego e renda – para a população.

A população enfrenta uma pandemia que causou a desocupação de aproximadamente 18 mil pais e mães de família. Causou traumas permanente em mais de 3 mil famílias, reduziu a capacidade do empreender, promoveu um novo ciclo inflacionário que penaliza os mais pobres e assim passamos a conviver com inúmeras familiar na qualidade de vulnerável em questões de alimentação, saúde e moradia.

Quais foram as proposições para essas questões básicas senho Junior Borges e demais vereadores?  

Que DEUS e os Orixás ilumines os homens públicos e nos protejam.

Adelmo Borges

Mais de