Segurança, impacto ambiental e custo-benefício geram aumento na procura por cremação

Mesmo antes da pandemia, Brasil registra aumento de 9% na demanda das famílias que optam pelo serviço.

 

O procedimento de cremação é uma prática em crescimento por todo o Brasil. Segundo dados do Sindicato dos Cemitérios e Crematórios Particulares do Brasil (Sincep), mesmo antes da pandemia da Covid-19, foi registrado um aumento de 9% na demanda das famílias que procuraram o serviço. 

Entre os motivos relatados que impulsionam a busca, estão a segurança, o custo-benefício e o impacto ambiental. De acordo com o levantamento, estes tópicos estão entre os mais abordados pelas famílias na hora de decidir cremar e não sepultar. 

Para Roberval Ramos, gerente comercial do Cemitério Parque Bosque da Paz, o crescimento pela busca do serviço de cremação tem relação com o senso humanitário das pessoas, por permitir que ainda haja a sensação de proximidade com o ente querido, pela forma da finalização proposta pelo processo de cremação.

Roberval conta que quando a cremação acontece, os rituais de despedida se estendem além do velório. “É possível fazer a aspersão das cinzas em uma viagem e na companhia de pessoas queridas, o que permite transformar a dor em um momento sensível, tornando o processo da despedida menos sofrido, dando espaço à uma celebração à vida e ao legado da pessoa que se foi, o que permite que os familiares e amigos lidem melhor com o luto, superando-o mais suave e rapidamente”, destaca. 

Outro ponto em que o gerente comercial chama a atenção, é que, ao contrário do que grande parte das pessoas imaginam, a cremação acaba sendo menos dispendiosa em termo de custos, quando comparada a um sepultamento simples. “Não é necessário despesas com manutenção, e com a futura destinação dos restos mortais, após o período mínimo de locação”, frisa.

Para trazer uma ideia sobre valores, Roberval Ramos revela que é prestado, pelo Cemitério Parque Bosque da Paz, o serviço de cremação de restos mortais, pelo custo médio de R$2.700,00.

“A necessidade desse serviço se dá a partir do momento em que a família precisa exumar o corpo que foi sepultado há pelo menos três anos na modalidade de aluguel de jazigo. A cremação de restos mortais será possível apenas nos casos do óbito ter sido por causa natural. Neste caso, é preciso que se junte a certidão de óbito da época, com a assinatura de um parente de 1° grau, para que seja autorizada a cremação dos restos mortais”, salienta.

De acordo com o gerente comercial, o processo de cremação passa por um trâmite burocrático a fim de trazer segurança para as famílias. O procedimento de cremação será iniciado no momento em que se dá o óbito, quando a família precisará definir de qual forma será a despedida (cremação ou sepultamento) levando em consideração crenças religiosas e filosóficas, além de respeitar o que melhor expressar a vontade do ente querido, acrescenta.

Roberval ressalta que, ao optar pela cremação, é necessário seguir algumas questões, tais como: constatar que a causa do óbito foi natural, sem nenhuma relação com violência; solicitar a assinatura de dois médicos na declaração de óbito, o que viabilizará o cartório a emissão da guia para cremação juntamente a certidão de óbito; e, por fim, o parente de 1° grau, munido de documentação comprobatória para autorizar por meio de assinaturas, a cremação do corpo junto ao cemitério.

Após o processo administrativo e documental, de velório e cerimônia, o corpo é armazenado em câmara fria por até 72 horas após o óbito. Após o período são retirados vidros e alças do caixão para que não danifique as cinzas. Em seguida, é colocado no forno para ser incinerado a temperaturas de até 1.200°C. Deste processo resultará fragmentos ósseos que serão resfriados e submetidos a moagem para que assim sejam, de fato, transformados em cinzas a serem entregue à família. 

Para o gerente comercial, em relação ao meio ambiente, o serviço de crematório se destaca do tradicional sepultamento, pois evita que a natureza possa sofrer com os poluentes que a decomposição de corpos sepultados irá liberar.

“Por exemplo, um corpo quando é enterrado, passa por um processo natural de decomposição que acontece com ajuda de fungos e bactérias, e que libera um líquido denominado “necrochorume”, que, se não drenado corretamente, pode vir a  contaminar solos, lençóis freáticos e nascentes de rios”, explica.

Roberval Ramos conta que o Bosque da Paz, ao perceber o aumento da procura pela cremação e demais serviços ao longo dos últimos anos, se aprimorou no acolhimento às famílias enlutadas, tornando mais humano, respeitoso e sereno um processo tão difícil como o da despedida de um ente amado e querido, oferecendo um ambiente cheio de vida, acolhedor e familiar e que transmita a paz necessária aos que ali precisam estar.

De acordo com o gerente comercial, o cerimonial oferece um ambiente com total comodidade para recepcionar em média 80 pessoas, climatizado e amplo. “Neste local também ocorrem as cerimônias personalizadas, onde fica disponível para a família um espaço para sua última homenagem, podendo ser apresentados vídeos, músicas e fotos que remetam ao valor e à importância da pessoa que se foi, aos parentes e amigos que ficaram”, finaliza.

Para mais informações sobre o aumento da procura pela cremação, entrevistas e pautas com o Cemitério Parque Bosque da Paz, ligue para 71 99198-6602 (Wandel Cerqueira | Assessoria CRIATIVOS).

Gabriela Camarão

Mais de Tecnologia