Facebook
  RSS
  Whatsapp

Diretoria do CEVA em Abrantes esclarece denuncias de alunos sobre a merenda escolar

Compartilhar

 

Circularam na internet, na última quinta-feira (06/06), vídeos gravados por alunos, relacionados a merenda escolar distribuída no Colégio Estadual de Vila de Abrantes (CEVA). A unidade que funciona em tempo integral para os estudantes do 1º ano, precisou improvisar o almoço, devido a um problema com o transporte da proteína, que seria preparada para os alunos.

O Portal tendo conhecimento da denúncia, foi até a escola conversar com o diretor José Adriano Sousa  sobre o ocorrido. “Foi um problema atípico, na verdade fazemos toda uma programação para a entrega das mercadorias. E uma das empresas, que vem de Maracás, não é aqui da região, quando estava trazendo as mercadorias o caminhão quebrou no meio da estrada. Então, mais ou menos umas 9h30 eles entraram em contato e avisaram que não chegariam em tempo hábil para que a gente pudesse preparar a alimentação. Tínhamos todo o acompanhamento, mas não tínhamos a proteína que é o frango e a carne”, explicou.

O diretor então buscou uma alternativa para não deixar os estudantes sem merenda. “Resolvemos então fazer uma vitamina de banana com cacau 70%, mas a broa. Não temos feito isso com frequência, como disse foi algo atípico, nossa intenção foi não deixar eles sem merenda. Temos distribuído arroz com frango, arroz temperado, feijão, verduras, saladas, temos um cardápio variado elaborado por uma nutricionista. Para se ter uma ideia, em um dos nossos lanches demos açaí como sobremesa. Então, as denúncias não procedem”, pontuou.

Na oportunidade, o diretor Adriano mostrou ao Portal o depósito onde são guardados os alimentos, com prateleiras cheias. Em relação aos vídeos da desorganização das filas na hora da merenda, o diretor explicou que aumentou a demanda e que foi preciso fazer um planejamento com filas separando por prioridades, meninas e meninos.

O CEVA ainda não foi oficialmente entregue e está recebendo alguns retoques na obra. O diretor Adriano chama a atenção para a falta de zelo de alguns estudantes com o patrimônio público. “Infelizmente alguns alunos colocam os pés na parede, colam chicletes nas cadeiras, colam adesivos nas paredes, então tudo isso requer um certo cuidado”, salientou.

Com o aumento da estrutura da escola, a diretoria ainda está se adaptando à nova realidade, e o planejamento é aumentar a quantidade de materiais, profissionais de limpeza, de apoio e o número de professores.

Grêmio Estudantil

A presidente do Grêmio Estudantil do CEVA, Mirela de Moraes, comentou o ocorrido com a merenda, e saiu em defesa da diretoria da escola, contra as Fake News. “Fico muito triste, infelizmente pessoas que são facilmente influenciadas por esse tipo de informação falsa, acabam compartilhando inverdades para escola inteira e divulgam nas redes sociais, repercutindo de uma forma muito negativa”.

Mirela ainda comentou sobre o comportamento de pré-candidatos a vereadores, que usaram o fato isolado para fazer política partidária. “Partidos de oposição ficam aqui na grade da escola, usando a imagem dos alunos pra tá divulgado informações erradas, sendo que nenhum deles vão nos ajudar, estão só aproveitando o período de eleição para poder expor a escola e os alunos”, exaltou.

Opinião de alunos

O estudante Renato Souza Carvalho, do 1º ano, morador da zona rural de Camaçari, fez elogios a merenda. “A comida é top, não tenho do que reclamar. Só aconteceu esse problema em um dia, devido ao caminhão quebrar. Tem almoço todo dia, não tenho do que falar mal”.

O também estudante do 1º ano, Igor Anunciação, morador do Buris, fez uma avaliação positiva de toda a escola. “Tem uma grande estrutura e só depende da gente para se desenvolver. Só está em falta dos professores de inglês e filosofia. Sobre a comida da escola é muito boa”, concluiu.

 

 

 

 

Mais de Camaçari