Facebook
  RSS
  Whatsapp

Com contas rejeitadas, Luiz Caetano deve ao município de Camaçari cerca de R$ 37 milhões afirma Jorge Curvelo

Compartilhar

 

De acordo com dados do site do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado da Bahia (TCM-Ba), de 2007 até o presente ano, o ex-prefeito de Camaçari, Luiz Caetano (PT), deve aos cofres do munícipio R$ 36.404.112,73 milhões, conforme atualização da Dívida Ativa do Município. Tais informações foram detalhadas e explicadas pelo advogado, vereador e ex-secretário da Secretaria do Esporte, Lazer e Juventude (Sejuv), Jorge Curvelo (União Brasil), durante entrevista cedida na manhã desta sexta-feira (7/6).

Camaçari é a quarta cidade mais populosa do estado da Bahia, com diversos atrativos para investimentos no município. Para tanto, segundo o advogado, a oposição tenta desconstruir o trabalho cuidadoso da atual gestão, com propagação de factóides na tentativa de criar um caos dentro do município e enfraquecer a administração do prefeito Elinaldo Araújo (União Brasil). 

“O nosso grupo político tem aquela premissa de quem ama cuida. Nós cuidamos de Camaçari para dar uma qualidade de vida melhor para o nosso povo. Enquanto a oposição trabalha com quanto pior melhor. Eles querem que a população seja dependente deles, então criam notícias falsas a exemplo de dizer que Camaçari está quebrada e que tem débitos. Isso não existe”, relatou Curvelo. 

Conforme os dados do site do Tesouro Nacional Transparente, que é quem analisa a Capacidade de Pagamento (Capag) e apura a situação fiscal dos estados e municípios, Camaçari tem nota B na classificação, com indicador de endividamento A, equivalente a 54,06%. Ou seja, como o limite para qualificar o município como endividado é de 120%, Camaçari mantém o cumprimento dos limites e condições para contratação de operações de crédito com garantia da União. 

Questionado sobre os empréstimos que a gestão tem tomado, Jorge explica que o prefeito Elinaldo é um gestor muito responsável e íntegro, e sinaliza que o gestor da Secretaria da Fazenda (Sefaz), Joaquim Bahia, é um dos melhores profissionais do país. “Elinaldo encontrou uma cidade destruída e precisou pleitear recursos e outros benefícios para nosso município, a exemplo das tratativas com bancos para cobrir os prejuízos causados pelo governo do estado, como por exemplo, o fechamento da Ford. Enquanto o município isentava empresa dos impostos, o governo do estado mantinha lá em cima”, explicou Curvelo, ao esclarecer que Elinaldo teve todas as suas contas de 2017 a 2020 aprovadas, assim como recebeu parecer favorável, pelo Ministério Público de Contas do Estado da Bahia, com aprovação de prestação de contas referente aos anos de 2021 e 2022.

Diante do atual cenário exposto no (TCM-Ba), fica explícito que o ex-prefeito Luiz Caetano e também pré-candidato a prefeito de Camaçari, se mantém desqualificado para gerir e administrar o município.

Assessoria Elinaldo

Mais de Camaçari