Mais uma ação de reflorestamento é realizada no Parque Municipal das Dunas de Abrantes e Jauá

 

Nesta quinta-feira (30/06) foi realizada mais uma ação de reflorestamento em uma das entradas do Parque Municipal das Dunas de Abrantes e Jauá, localizada na Fonte da Caixa, em Vila de Abrantes. A ação foi realizada pela Prefeitura de Camaçari, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Sedur) e contou com a participação de membros do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comam), do Centro de Estudos, Pesquisas e Ações Socioambientais de Camaçari (AVP), secretariado municipal, ambientalistas e a comunidade.

A frente da ação, a secretária da Sedur Andréa Montenegro, que destacou as “diversas mãos” que contribuem para o movimento de preservação ambiental acontecer. “Há anos esse lugar vinha sendo degradado, mas com a orientação do prefeito Elinaldo, apoio do Ministério Público (MP) e recomendação do Juiz, a gente está trabalhando na conservação dessas dunas”, pontuou.

Na oportunidade, a gestora falou do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU), que está em fase de licitação de uma empresa que vai prestar consultoria na construção do documento, pautando ainda que o cuidado com o patrimônio natural de Camaçari será uma prioridade. “Nós temos toda uma diferença entre região urbana, zona rural e o meio ambiente precisa estar com esse olhar especial de preservação, mas ao mesmo tempo tendo o equilíbrio com o desenvolvimento urbano, econômico. Então faremos um bom trabalho e com a participação de todos”, disse Andréa Montenegro.

Figura presente em atividades voltadas para a preservação do meio ambiente, a conselheira do Comam Ana Maria Mandim, relembrou como era as dunas quando visitou pela primeira vez o local. “Conheci esse lugar antes dele virar ponto de lixo, eu subia naquela pirambeira para visitar as dunas, isso foi por volta de 2017, depois disso essa região foi invadida e colocaram aqui um ponto de lixo, virou também descarte de lixo orgânico, uma coisa horrível, era impossível de se aproximar disso aqui, ainda tinha a questão dos ônibus com o do final de linha, você via gente no meio das plantas e das dunas invadindo, hoje isso aqui é outra coisa. Antes era um lugar que dava tristeza, dava vontade de chorar”.

Também conselheiro Coman, o senhor Jerônimo exaltou que não abre mão de participar de ações de plantio e limpeza de áreas de preservação. “Quando se fala de meio ambiente, está se falando da saúde das pessoas, está se falando de preservação daquilo que já foi destruído e que as pessoas começam a entender que precisam manter o que restou para poder favorecer a saúde do município. A cidade é nossa casa em comum e precisamos cuidar da nossa fauna e flora”.

As árvores plantadas nesta ação foram frutíferas, como contou o coordenador de licenciamento João Leal. “Aqui temos pés de jambeiros, jenipapeiros, goiabeiras e cajueiros que quando grandes e dando frutos serão para consumo da própria comunidade. Além de uma mine-horta que a própria comunidade solicitou”, explicou.

Geovana Gonçalves, moradora da comunidade, é uma das “guardiãs” do Parque, ela contou que já se imagina colhendo e cuidando do local. “Com esse plantio acredito que vai evitar que as pessoas joguem lixo, bichos mortos e que incomodavam muito os moradores. Vamos vir aqui colher uma cebolinha, um hortelã-miúdo, vamos molhar, podemos plantar também, vir aqui visitar, sentar debaixo de uma árvore, é muito boa essa ação”, comemorou.

Marcou presença também na atividade a secretária da Mulher (Semu), Fafá de Senhorinho, que alertou a necessidade da mudança de hábitos da população na conservação do Parque. “É muito importante cuidarmos da nossa região, ao invés de devastar temos que plantar. Aqui estava merecendo essa ação, que conta a participação da comunidade. Esse patrimônio é nosso, a prefeitura faz e nós devemos conservar, os pais devem orientar seus filhos sobre preservação”.

Mais de Meio Ambiente