Governador da Bahia anuncia novas medidas para conter a pandemia da Covid-19 e outras influenzas

 

Em entrevista a TV Bahia, no início da tarde desta quinta-feira (20/01), o governador do estado Rui Costa anunciou novas medidas de restrição para conter o aumento de casos de Covid-19 e outras influenzas. Esse será o terceiro decreto alterado só no mês de janeiro. O novo texto foi assinado hoje e a partir desta sexta-feira (21) começa a valer.

A principal mudança foi a redução do público em shows e eventos que era de 5 mil pessoas, passando para 3 mil na semana passada e agora 1500. “Levamos em conta o número de 13.262 novos contaminados, balanço de ontem, e hoje a partir das 15h deve sair um novo número que infelizmente deve ser ainda maior. E com essa taxa de crescimento, ultrapassaremos em menos de uma semana, o maior número de contaminados de toda a pandemia, que foi março do ano passado quando chegamos a ter 22 mil contaminados”, explicou Rui Costa.

De acordo com o gestor, algo precisa ser feito para “evitar impactos maiores na economia, na vida e na saúde das pessoas”. “Nós estamos acompanhando também os indicadores de presença de pacientes nas UPAs de emergência, os municípios estão sendo obrigados a abrirem mais pontos de emergência, transformarem postos de saúde em pequenas emergências, municípios abrindo gripários, isso está acontecendo no estado inteiro, enfim, uma pressão muito grande para atender essa demanda de pacientes tanto de Covid como de H3N2, e também a elevação de leitos clínicos e de UTI”, exaltou.

Serão abertos até o próximo domingo (23), mais 30 leitos clínicos no Hospital Espanhol em Salvador, sendo que existe a possibilidade de ampliar também o número de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), caso tenha necessidade. “O objetivo é garantir o atendimento de toda a população, mas é preciso conter esse crescimento e depois de quase dois anos de pandemia aprendemos que o que acelera a contaminação é a aglomeração de pessoas, e nas festas infelizmente tem sido recorrente o desrespeito ao decreto, como mostram as imagens da semana passada em uma festa na Cidade Baixa, basta você olhar e ver que ali está muito além de 50% da capacidade daquele local”, deu como exemplo.

Durante a entrevista o governador foi questionado sobre as críticas feitas pelo setor de eventos, que foram os primeiros a fechar e os últimos a retornarem com as atividades. Rui Costa pontuou que se for preciso decidir entre a saúde financeira dos empresários e a saúde de idosos, crianças e o público em geral, vai ficar com a segunda opção. “Eu entendo, compreendo e é por isso que a gente vinha pedindo aos organizadores de eventos que eles fossem os primeiros a reforçarem o cumprimento do decreto, e o que nós vimos infelizmente é que a maioria, e quero aqui reservar aqueles que cumpriram o decreto, organizaram festas não solicitaram o cartão de vacinação, não respeitaram o limite de pessoas, e a gente viu foi a propagação de vírus”, destacou.

Mais de Política