Facebook
  RSS
  Whatsapp

Prática de exercícios promove benefícios para mulher na menopausa

Da regulação do humor ao sono, os benefícios da atividade física para mulheres com mais de 50 anos de idade incluem prevenção de problemas cardiovasculares, osteoporose e depressão

Compartilhar

 

Se é consenso que a prática da atividade física regular promove saúde e qualidade de vida para pessoas de todas as idades, no caso das mulheres com mais de 50 anos, quando a queda de produção de hormônios marca a entrada na menopausa, os exercícios ganham ainda mais importância. De acordo com o ginecologista Airton Ribeiro, diretor médico da CAM, a atividade física na menopausa traz benefícios para a saúde física e mental e deve ser incorporada ao dia a dia da mulher madura para garantir mais saúde e qualidade de vida.

A atividade física, especialmente a corrida, a caminhada e os treinos musculação, ajuda na prevenção da osteoporose, uma vez que fortalece a estrutura óssea e muscular, reduzindo o risco de lesões e fraturas. “A diminuição da densidade mineral óssea é decorrente da queda de hormônios estrogênios e a atividade física é fundamental para melhorar essa condição e reduzir seus riscos”, esclarece Airton Ribeiro.

Outro benefício importante é o controle do estresse, da ansiedade e da depressão, assim como a prevenção do declínio cognitivo. “A atividade física é fundamental para a saúde mental, pois estimula a produção e liberação de hormônios como a endorfina, a dopamina e a serotonina, que vão promover bem-estar, relaxamento, melhora do humor, motivação e alívio do estresse e da ansiedade”, afirma Airton Ribeiro. “É um remédio natural para depressão”, complementa.

A tendência ao ganho de peso, a perda de massa muscular e o acúmulo de gordura abdominal são comuns na menopausa e a atividade física, aliada a uma alimentação equilibrada, é fundamental para que a mulher se mantenha no peso adequado e saudável, evitando outras complicações que podem surgir com o excesso de peso e o sedentarismo, como as doenças cardiovasculares.

De acordo com o especialista, os benefícios de se exercitar após os 50 anos de idade são incontáveis e vão da regulação do humor ao sono. “A atividade física melhora a capacidade cardíaca, traz equilíbrio e saúde mental, promove a autoestima e a libido, e também regula o sono”, afirma o médico.

 

Menopausa

 

Caracterizada pelo período da vida da mulher em que os ciclos menstruais cessam em definitivo e os ovários deixam de produzir os hormônios reprodutivos como a progesterona, o estrogênio e a testosterona, a menopausa acontece, geralmente, entre os 49 e os 55 anos de idade. “Ao ficar por doze meses seguidos sem menstruar, considera-se que a mulher entrou na menopausa”, explica Airton Ribeiro.

 

Durante o climatério, fase de transição que antecede a menopausa e o fim da capacidade reprodutiva da mulher, é comum ciclos menstruais irregulares e espaçados, e outros efeitos indesejáveis, como ondas de calor, suor noturno, insônia, falta de concentração, falhas na memória, diminuição da libido e até depressão.

 

“Menopausa não é doença, faz parte do envelhecimento natural da mulher. É uma nova fase da vida e a atividade física realizada regularmente pode ser benéfica para melhorar a condição geral da mulher”, afirma Airton Ribeiro.

 

“Ao notar esses efeitos, a mulher deve buscar seu ginecologista para o devido acompanhamento. A terapia de reposição hormonal, quando indicada, e os hábitos de vida, como a atividade física e uma alimentação equilibrada, fazem toda diferença para qualidade de vida da mulher após os 50 anos de idade”, destaca. “Há casos de pacientes que se cuidam e passam a ter até mais disposição e vitalidade”, finaliza o médico.
 

Reinaldo Oliveira

Mais de Salvador