COMAM comemora assinatura da Lei que cria o 1º Parque Ecológico de Camaçari

 

Através de uma nota, o Conselho Municipal de Meio Ambiente (COMAM) de Camaçari, comemorou a assinatura da Prefeitura Municipal sancionando a Lei Nº 1710, aprovada pela Câmara dos Vereadores, que cria o 1º parque ecológico da cidade. A entidade, juntamente com AVP - Associação dos Moradores da Rua Aquarius e da Via Parque, que hoje se tornou o Centro de Estudos, Pesquisas e Ações Socioambientais de Camaçari, estive a frente da luta pela preservação do local.

A área que começou com 700 hectares, hoje tem apenas 344, natureza que resiste a degradação do homem através da retirada ilegal de areia, poluição e invasão imobiliária. “O Parque Natural Municipal das Dunas de Abrantes e Jauá protegerá os ecossistemas” de um espaço delimitado “no Decreto Nº 166/1977, do então prefeito Humberto Ellery, que criou o parque nunca regularizado pelas gestões que se seguiram. O intervalo de 45 anos custou a perda de 356 hectares para invasões”, pontuou a presidente do COMAM, Ana Maria Mandim.

Segundo a ambientalista, mesmo com o passar de tanto tempo para que a lei fosse sancionada, é importante garantir agora a preservação da nova Unidade de Conservação (UC). “Um parque de proteção integral a ser visitado e apreciado pelo público e onde poderão desenvolver-se investigações e estudos de carácter científico. O parque permitirá, dessa forma, a produção de conhecimento valioso sobre animais, plantas e demais integrantes do ecossistema”, explica.

Ainda de acordo com Mandim, é preciso que os moradores do entorno do parque sejam atraídos e integrados no processo de implantação de UC. “Porque só a participação das comunidades dará vida ao parque e despertará o interesse de toda a região em conhecê-lo, consolidando-se, assim, uma nova realidade que deverá mudar para melhor o perfil socioeconômico desta região”, finaliza a nota.

Mais de Meio Ambiente