​Presidente da Câmara de Camaçari diz que está “pronto para a missão” de ser prefeito do município

Heriks Trabuco

 Heriks Trabuco

Foram quase 20 minutos de Papo Aberto, Papo Reto com o presidente da Câmara Municipal de Camaçari, vereador Júnior Borges (DEM). E dentre os vários assuntos abordados, como as eleições de 2022, o movimento político local e estadual, projetos e mudanças na Casa Legislativa, o democrata falou do sonho de se tornar um dia prefeito e que está “pronto para a missão” de ser chefe do executivo.

O Portal quis saber do presidente o que ele faria como gestor de uma cidade tão desejada como Camaçari, por conta de sua economia, bens naturais e capacidade de crescimento. “Se um dia tiver a oportunidade de me tornar prefeito, e se Deus me permitir isso, que me conceda apenas um ano para que a gente possa fazer uma revolução na gestão pública municipal. Deus que promove tudo na nossa vida, e eu sou um homem temente a Deus. Que ele me promova apenas um ano para a gente dar um giro de 360 graus em Camaçari. Espero que com a minha cabeça e com a cabeça de várias outras pessoas que me cercam, que a gente possa fazer mudanças em todos os setores da prefeitura. Mas isso é um desafio, isso é uma missão, e missão nem todo mundo está preparado para receber, não estou dizendo que estou mais do que preparado, mas estou dizendo que estou pronto para missão e com brilho no olho para defender a minha terra. Tenha certeza que vou fazer de um tudo para não errar”, exaltou.

E para que Camaçari siga no caminho do desenvolvimento, o presidente destaca que é preciso criar políticas públicas efetivas de infraestrutura, que alcancem de fato a população. “Juscelino Kubitschek disse que em cinco anos ele faria uma mudança estrutural na administração pública federal e a primeira coisa que ele fez foi criar a nossa capital federal. Em cinco anos ele trabalhou o equivalente há 50 anos, estou dizendo o que é possível fazer. Quero primeiro ver meu povo feliz, ver minha gente feliz, não é ver minha gente de cabeça baixa, e não é estar de cabeça erguida com petulância, pelo contrário, é acreditando que pode. O povo de Camaçari é um povo forte, um povo aguerrido, e que tem sim condição de fazer o que ele quiser. Camaçari é uma cidade abençoada de fato por Deus, é só parar e olhar para os quatro cantos dela. Meu sonho é ver o povo feliz com emprego, com saúde, com educação de qualidade, sem dever a ninguém. Meu sonho é ver uma cidade com infraestrutura e que as pessoas venham copiar, uma cidade que realize aquilo que o povo quer”, enfatizou.

Desde quando assumiu a presidência da Câmara no início do ano, e realizou mudanças administrativas e na forma como preside as atividades em plenário, além das relações com outros poderes, entidades e autoridades políticas, o presidente vem sendo alvo de algumas críticas e divergências de opiniões. Questionado sobre o porquê de fato ele estava incomodando algumas pessoas, o gestor repetiu uma fala que já disse na tribuna. “Uma árvore, quando não dar frutos ela é cortada, mas quando ela dar frutos desde o início do nascimento dos frutos as pessoas atiram pedras. Não tenho uma régua para medir se sou humilde, ou se não sou. Uma coisa é certa, a missão que tenho é defender a minha terra, e essa foi a missão que me coloquei a disposição. Eu vou buscar todos os setores, vou conversar com o governador para defender Camaçari, vou conversar com senadores da república mesmo sendo de partidos opositores a mim para defender Camaçari, vou buscar o próximo governador da Bahia ACM Neto para apresentar aquilo que entendo que precisa melhorar na infraestrutura de saúde, de mobilidade, de geração de emprego, de mais oportunidades. Vou buscar parcerias com o prefeito Bruno Reis, que tem sido um parceiro leal de Camaçari, tem me ajudado muito para que as coisas de fato possam sair dessa situação. Vou interagir e conversar com meu amigo/irmão, que é o prefeito Elinaldo, vou colocar as minhas opiniões ainda que não sejam de concordância, mas vou apresentar aquilo que penso, que sonho e acho que posso contribuir”.

Sem citar nomes nem legendas, Júnior comentou ainda que tem conversado não apenas com políticos da cidade, mas de todo o estado. “Tenho conversado com gente que jamais imaginei que conversaria. Estou apresentando aquilo que acho que é importante para que a cidade se desenvolva e cresça. Tenho uma aposta grande no turismo de nossa cidade, então tenho que conversar com esses interlocutores, dizer para eles que tem gente interessada que a cidade cresça, interessada na política, que vai beneficiar a população basicamente da costa, daquele povo que vive na zona rural, que muitas vezes dizem que 'não há esperança, para mim é só inchada'. Eu acredito nas pessoas da minha terra. Um dia disse que aqui na tribuna que ‘ataque é veneno’ e só toma veneno quem quer. Eu não quero tomar veneno, podem continuar me atacando, não tem problema, vou continuar caminhando e conversando com as pessoas”.

E a boa relação com as diversas figuras políticas do estado, levou o Legislativo Municipal da capital, a conceder ao presidente Júnior Borges o Título de Cidadão Soteropolitano. “Eu tive o privilégio de ser escolhido, pra mim isso é uma grande honra, uma grande alegria. Mas não é para mim, é para o povo da minha terra, é meu trabalho que sendo colocado lá. Falo isso e as pessoas as vezes acham que é soberba, e não é soberba. Sou filho de mãe solteira, doméstica, que lavava as casas e levava o filho pequeno dela do lado porque não tinha com quem deixar. Filho de dona Maria Celma Gomes Borges, desta mulher que não sabe ler mas que queria preparar seu filho e preparou, eu estou aqui. Preciso de todos. Eu não sou ninguém se não tiver vocês do meu lado. E acreditem, não tenho vaidade com nada. Em quase nove anos de mandato, não mudem em nada, continuo sendo a mesma pessoa”, desabafou.

Sobre a disputa política dentro do município e uma possível candidatura a deputado estadual, Júnior Borges respondeu exaltando seus pré-candidatos a governador da Bahia e a deputado federal. “Faço parte de um grupo político liderado na Bahia por ACM Neto, o próximo governador da Bahia, tenho convicção disso, e do meu deputado federal, Geraldo Júnior. O que reserva a mim em 2022 e 2024 cabe a Deus em primeiro lugar, ao meu povo e aos meus líderes políticos. Eu tenho aqui em Camaçari não apenas a figura do prefeito, a figura de um líder, de alguém que foi forjado nas ruas assim como eu, todos sabem de onde eu vim, dos movimentos sociais, da defesa transigente do nosso povo, que muito me orgulho. O que o futuro me reserva na política eu não sei, estou aqui a disposição, o que a população quiser que eu seja eu serei e vou voltar a dizer sempre o que digo na tribuna, o que é seu, vai chegar, então não tenho pressa, apenas tenho pressa para que os processos aconteçam e a população seja beneficiada, se serei eu o interlocutor para fazer isso, estou aqui a disposição, para fazer", disse.

Para finalizar, o presidente enfatizou que é um soldado do grupo político liderado pelo prefeito Elinaldo em Camaçari. “Quero contribuir e estou à disposição. Até um dia desse diziam que eu era candidato a deputado estadual, mas quando foi que ouviram o presidente Júnior Borges dizer que era candidato?”.

 

 

Mais de Política