Equipe da Limpec participa de ação ambiental em Arembepe e presidente fala do trabalho realizado pela empresa em sua gestão

 

A atividade realizada no último sábado (18/09), em Arembepe, na costa, em celebração ao Dia Mundial de Limpeza, contou com a participação de uma equipe da Empresa de Limpeza Pública de Camaçari (Limpec). O Portal conversou com o presidente da instituição, Aldeni Motta, que falou sobre a ação ambiental e os projetos implantados em sua gestão.

“Arembepe é conhecida por suas belezas naturais e o que está acontecendo aqui hoje é a coleta de resíduos sólidos que vem aumentando a cada ano em nossa cidade e muitas vezes descartados no meio ambiente”, disse o presidente que ainda relatou o volume de lixo doméstico coletado durante a pandemia no ano passado. “O excesso de resíduo cresceu assustadoramente no Brasil, devido as pessoas estarem mais em casa, pedido muito delivery que vem dentro de sacos, isopor e etc, e a logística reversa tem sido deficiente. Nós estamos colocando na natureza muito material que não está sendo coletado pelos seus responsáveis”, exaltou Aldeni.

A Limpec implantou na última sexta-feira (17) em Arembepe, o projeto Descarte Legal, através da instalação de uma caixa coletora de vidros, assim como já conta o bairro do Inocoop, na sede do município. “A ideia é coletar vidro, sobretudo long neck, que é material não retornável, e que tem sido um problema para o nosso meio ambiente. E hoje as pessoas estão bebendo mais long neck do que latinhas, que são recicláveis, e já é um sucesso na sede a caixa. Além dos bares as pessoas consomem em casa e é uma forma também de poupar de acidentes os coletores que pegam os resíduos nas portas durante a noite”, destacou o gestor.

O serviço de coleta de resíduos, chamados de ordinários, que antes a Limpec realizava, foi terceirizado para uma empresa privada, mas além do trabalho de educação ambiental, a instituição tem outras responsabilidades. “Coletamos resíduos hospitalares e de saúde. Para se ter uma ideia durante o auge da pandemia coletamos cerca de 17 toneladas. Fazemos a gestão do aterro sanitário, dentre outros serviços voltados para o saneamento ambiental. Além dos pontos de coleta de vidros, vamos agora coletar resíduos especiais como medicamentos vencidos, e o planejamento é implantar a coleta de outros resíduos como pilhas e óleo saturado”, explicou Aldeni.

A receita da Limpec vem parte da Prefeitura de Camaçari e segundo o presidente é crescente o superávit devido a administração responsável. “As pessoas pagam impostos para verem esses impostos retornarem para elas em benefício, então meu propósito hoje é fazer com que o erário público retorne para o cidadão através de serviços e benefícios”, finalizou.

Mais de Meio Ambiente