Ações de preservação do patrimônio histórico de Camaçari é discutido em reunião com o IPHAN

 Foto: Arquivo Secult

  Foto: Arquivo Secult

Com orientação do prefeito Elinaldo Araújo, as secretárias da Cultura e do Turismo, Márcia Tude e Cristiane Bacelar, respectivamente, estiveram reunidas com o superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) na Bahia, Bruno Tavares. Durante o encontro, que aconteceu nesta segunda-feira (26/7), foi pactuada a formação de um grupo de trabalho envolvendo as pastas municipais e o instituto para que possam ser encontradas soluções integradas de valorização, preservação e requalificação do patrimônio de Camaçari.

A reunião contou ainda com a presença do presidente do Conselho Municipal de Cultura e subsecretário da Cultura, Luciel Neto, da subsecretária do Turismo, Lúcia Bichara, bem como das equipes técnicas de ambas as pastas.

Márcia Tude explica que, entres os objetivos, está o de buscar oportunidades de inscrições em editais de reconhecimento à história do município, assim como encontrar soluções para problemas que acontecem diante às restaurações e obras que são feitas nos sítios arqueológicos de Camaçari. “Foi uma visita muito importante, na qual foram alinhadas diversas soluções para as questões de patrimônio encontradas em Camaçari. Estamos muito felizes porque podemos avançar muito, sobretudo, porque temos uma lei nossa para questões que valorizem ainda mais o nosso importante e grandioso patrimônio histórico e artístico aqui do município”, ressaltou a titular da Secretaria da Cultura (Secult).

Dentre os patrimônios do município em pauta na reunião, estiveram a Igreja do Divino Espírito Santo, em Vila de Abrantes, e a Aldeia Hippie, em Arembepe. Para Cristiane Bacelar, estes são dois importantes produtos turísticos que têm grande relevância a nível nacional e também mundial. “Foi um diálogo muito enriquecedor. Saímos daqui com muito aprendizado, engatilhado um termo de cooperação técnica para que a gente possa avançar na questão do tombamento da Igreja do Divino Espírito Santo e iniciar o da Aldeia Hippie. Camaçari só tem a ganhar”, avaliou.

Além da Igreja, também foram pontuados na reunião sobre as peças que foram encontradas no início da década de 2000 e que também compõem o Parque Arqueológico de Vila de Abrantes. Foi o que contou o subsecretário Luciel Neto. “Este encontro foi super proveitoso para a comunidade e, com certeza, em breve estaremos colhendo os frutos. Com as próximas reuniões, estaremos aprofundando as discussões e estreitando os laços do município com o IPHAN com o objetivo de beneficiar a comunidade”.

O superintendente do IPHAN, Bruno Tavares, também avaliou o encontro como positivo. “Ações como a de hoje, que discutem a preservação do patrimônio cultural, são importantes na medida em que a gente pode compartilhar experiências para orientar o município sobre como proteger seu patrimônio cultural”, afirmou ao completar, “a gente está recepcionando propostas de tombamento que achamos pertinentes para Camaçari. Iniciativas como essas levam certo tempo, no entanto, o município pode, com orientação do IPHAN, promover ações próprias de proteção ao patrimônio e é isso que a gente espera que possamos fazer, orientar da melhor forma possível”, completou.
 

Agencia de Notícias

Mais de Cultura