Live de samba junino terá Reinaldinho e Tonho Matéria

 

Como parte da programação virtual do Samba Junino, promovida pela Fundação Gregório de Mattos, o grupo Sambão da Mucum’G se apresenta a partir das 15h do próximo domingo (20) e recebe como convidados os cantores e compositores Reinaldinho (ex-Terra Samba) e Tonho Matéria. A atração poderá ser acessada pelo YouTube, por meio do canal Nonato Sanskey e Sambão Junino da Mucum'G.

Fundador e vocalista do Sambão da Mucum’G,  Nonato conta que trará o melhor do samba junino para a apresentação. “Faremos um repertório bastante eclético, com base na coletânea de samba junino que gravei em 2019, que conta com canções de 18 grupos, em homenagem a cada um deles. Além disso, eu trarei um repertório inédito com canções como Mãe Preta, Tá Gostoso Tá, Namorado da Sereia e Lá Vem o Samba Duro”, adianta.

Inserido no samba junino desde criança e fundador da Liga do Samba Junino, Nonato diz estar feliz com a programação, que precisou ser adaptada mais um ano ao formato virtual devido à pandemia de Covid-19. “É uma iniciativa mais do que justa. A cultura do samba junino é muito carente de recursos, portanto esse apoio para a realização das lives já é um grande passo para todos aqueles que se inserem nessa manifestação cultural. Há 41 anos eu estou fomentando essa cultura e fico muito feliz com a concretização do edital”.

Convidados – Para Tonho Matéria, um dos convidados do domingo, trata-se de uma iniciativa fantástica. “Esse é o maior instrumento que nós temos de sociabilidade nesse período. O samba junino nasce das comunidades de Salvador. Eu me lembro que a gente aprendia a tocar e a cantar. Nós enfeitávamos a rua com bandeirolas, palhas e cobríamos o chão com folhas. Era muito lindo. Hoje, como essa manifestação presencial não pode ser feita, por conta da pandemia e da insegurança, nós recorremos às lives”.

Para ele, é uma proposta que vem para fortalecer. “É uma possibilidade de apresentar ainda mais o samba junino para a sociedade baiana. Por isso, Nonato está de parabéns por ter criado o projeto e a Prefeitura também pelo apoio. O samba junino é a maior potência das comunidades de Salvador. Dele saíram diversos nomes de cantores e compositores baianos, a exemplo de mim, Tatau, Beto Jamaica, Reinaldo, Xexéu, Ninha e vários outros”.

Reinaldinho vai apresentar a música Samba Duro da Bahia é Bom Demais, gravada com Nonato na coletânea de 2019.  “A gente fica feliz em fazer parte de mais um registro de evidência ao samba junino, que tem uma influência muito grande para a música baiana. É algo muito importante para mim, que sempre estive perto do samba junino e sempre valorizei, desde a década de 1980, com a realização dos concursos de samba junino na comunidade”, relata.

Investimento – O investimento municipal para a ação, através do Prêmio Samba Junino, foi de R$260 mil, sendo destinados R$20 mil para cada projeto aprovado. No total, 13 entidades fazem oficinas, documentários e apresentações virtuais trazendo a história, os elementos formadores e toda a trajetória desse estilo que descende do samba. Há pouco mais de quatro décadas, o ritmo movimenta e leva um novo estilo aos festejos de São João.

Integrante do programa Salvador Memória Viva, da FGM, o Samba Junino é mais um ente do patrimônio cultural da cidade salvaguardado pela pasta desde 2018. Registrado como patrimônio imaterial, a manifestação entra no terceiro ano sendo parte das ações de conservação implementadas pela FGM.

O samba junino é caracterizado pela presença de instrumentos percussivos, como o timbal, o tamborim e o surdo, que marcam um ritmo mais acelerado. Algumas pessoas inserem o pandeiro e o instrumento de corda, mas o que marca a sonoridade são a percussão e as letras com refrão fácil, que costumam ser repetidos em coro pelo público.

A manifestação cultural tem referências identitárias em diversos bairros populares de Salvador, como Engenho Velho de Brotas, Engenho Velho da Federação, Federação, Fazenda Garcia, Tororó, Pero Vaz e Nordeste de Amaralina, entre outros. Os grupos de samba duro costumam percorrer as casas da vizinhança ou mesmo ir a bairros próximos levando sua música, sendo recebidos com comida e bebidas típicas do período junino. Esse ano, por conta da pandemia, a programação ocorre de maneira virtual.

Secom

Mais de Entretenimento