Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari fecha acordo para trabalhadores de empresas que atuam dentro com complexo Ford

 

Após quase quatro meses de negociações intensas, o Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari fechou um acordo coletivo com a Ford, beneficiando milhares de trabalhadores de empresas que atuam dentro do complexo. A notícia foi divulgada pelo presidente da entidade, Júlio Bonfim, através das suas redes sociais, na última terça-feira (18/05).

De acordo com o sindicalista, os trabalhadores aguardavam ansiosos por uma solução desde que a montadora decidiu fechar as portas da fábrica. “Hoje era o prazo final que foi dado pelo Tribunal Regional do Trabalho, que se não houvesse uma negociação entre as partes, a partir da data de hoje a Ford poderia demitir os trabalhadores, sem pagar nenhuma rescisão. O sindicato se antecipou, discutiu de forma veemente, com toda dificuldade que tivemos na mesa de negociação, tivemos uma vitória”, exaltou.

Através do Plano de Demissão Incentivado (PDI), os metalúrgicos terão direito a 2.05 salários por ano trabalhado, onde quem cair na variável entre R$ 110 a R$ 130 mil vai acrescentar mais R$ 20 mil reais, e acima de R$ 130, mais R$ 30 mil reais. Além de seis meses de plano de saúde Hapvida, sem a cobrança da coparticipação e carência, para o metalúrgico e seus familiares. No caso de dívidas com o convênio Mediservice, ele poderá quitar o débito com o valor de um salário e o valor restante abonado pela empresa.

De acordo com Júlio Bonfim, esse acordo é extremamente significativo para a economia de Camaçari e Região Metropolitana. “Vai injetar na economia baiana cerca de R$ 700 milhões de reais, podendo chegar a R$ 1,4 bilhão com as rescisões. Essas e outras vitórias conquistadas no acordo, só foram possíveis graças à mobilização, empenho e união entre os trabalhadores e o sindicato”, destacou o presidente.

Mais de Emprego