Vereadores divergem sobre retorno das aulas presenciais em Camaçari durante Audiência Pública

 

Na manhã desta quinta-feira (06/05), uma Audiência Pública foi realizada na Câmara de Vereadores de Camaçari, com o objetivo de debater a possível retomada das aulas presenciais nas escolas do município. Os parlamentares em seus discursos, divergirem sobre o retorno das atividades dentro das salas de aulas.

O vice-presidente da Casa Legislativa, o vereador Dilson Magalhães (PSDB), foi o primeiro parlamentar a assumir a tribuna, para pontuar o que levou a presidência da Câmara a realizar uma discussão sobre o assunto. “Essa audiência visa promover o debate livre, plural e democrático, acerca do direito de aprender e do futuro das crianças camaçarienses, que ao fim e ao cabo, trata do futuro de toda Camaçari”, disse.  

Logo em seguida, profissionais da saúde, especialistas e técnicos em educação apresentaram informações, pesquisas e números sobre o assunto. Dona de uma instituição particular, a vereadora Professora Angélica (PP), pontuou que tem sofrido “na carne” as dificuldades dos proprietários de escolas privadas, mas o que importa nesse momento é a vida. “Vejo também que hoje as aulas que temos não estão funcionando, não adianta os alunos levarem as atividades para casa, o aprendizado não está acontecendo e mais preocupada ainda eu fico, porque estou visitando as unidades escolares e vejo que elas não estão prontas para esse retorno”, enfatizou.

O líder do governo na Câmara, vereador Flavio Matos (DEM), destacou que o debate foi uma aula de democracia, com opiniões divergentes acerca do retorno das aulas presenciais. “Camaçari se preparou e fez seu dever de casa quando se fala em manutenção das aulas de maneira remota. Nós sabemos da dificuldade de quem mora nas periferias,''' sem acesso à internet, mas tiveram atividades supervisionadas com a distribuição junto com o vale merenda. É claro que essas crianças anseiam pelo retorno as salas de aulas e isso tem que ser feito com muito cuidado, com muita cautela, respeitando a imunização dos grupos de riscos, de todos os profissionais da educação e respeitando também essas angustias que vivemos, não apenas nas escolas públicas, quanto nas particulares”.

Ressaltando o papel da Câmara nos debates de interesse público, o parlamentar de oposição ao governo, Tagner Cerqueira (PT), fez quationamentos sobre a retomada das aulas nas escolas. “Na minha opinião particular, o retorno só com a garantia da vacina, porque na escola tem o professor, a professora, mas tem a merendeira, o porteiro, as crianças, enfim, a gente hoje precisa preservar a vida. Esse debate capitalista, de que as escolas precisam retornar imediatamente, vamos perder mais gente ainda. Outra questão que defendemos é que o município faça aquisição dos computadores para os professores porque muitos estão com dificuldade, e inclusive muitos deles estão custeando esses equipamentos”, explicou.

Um dos proponentes da audiência, o presidente da Câmara, vereador Júnior Borges (DEM), enfatizou a importância de ouvir todos os lados. “A nossa ideia com essa audiência era colocar em debate ideias plurais no sentido de auxiliar na tomada de decisões, ouvindo todas as opiniões. Esse é o papel do Legislativo e precisamos ter coragem de fazer essas discussões. Estamos todos aqui em defesa da vida e não há dúvida quanto a isso. Mas também precisamos colocar na mesa essas necessidades da área de educação”, reforçou.

Estavam presentes ainda na atividade representantes do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Camaçari (Sindisec), da Associação dos Profissionais de Educação da Rede Pública de Camaçari (ASPEC), da Associação dos Professores Licenciados do Brasil (APLB) em Camaçari, donos de escolas privadas, educadores e pais de alunos.

Mais de Câmara de Camaçari